Olá todos os fâs de 6 ou 7 cordas. Eu sou Alexandre Garcia e criei esse blog no intuito de falar sobre o instrumento no qual muitos que lêem isso agora devem tocar… Instrumento fascinante não é? Apenas 6 cordas, de uma dimensão específica, esticadas de ponta a ponto que fazem música… É interessante, se vissemos atenciosamente à cada instrumento que hoje em dia é usado para fazer música. Música que encanta, que cativa, que conquista, que idolatra, que homenagea, que faz, e acontece.
Analise uma flauta. O que é, basicamente, uma flauta? Em um ponto de vista nú e cru, a flauta é uma madeira com furos e vãos, que você sopra e forma notas musicais. Simples não? Um piano. Tocar um tecla ja é fazer música… Acredite ou não, a música é muito simples, tanto como o jeito que pode ser tocada, como pode ser feita. Agora nos perguntamos… Porque a dificuldade tão grande de acharmos a sequência de notas perfeitas? O Tempo perfeito, porque algo tão simples pode se tornar tão complicado? Simples… Tudo que você faz friamente, sem emoção nem sentimento, é muito árduo, complicado… Mas o que você faz com emoção, e gostando, realmente se torna a coisa mais fácil do mundo. É Só uma questão de como se escolhe ser feito.

Então amigos mortais! 😀
Vamos ao que interessa, vamos para o primeiro assunto do Blog…

A história da guitarra

Porque? Por que muitos tocam um instrumento nem sabendo por que foi inventado, nem sabendo suas origens… Sendo assim, apenas fazem música, mas não do modo certo.

A guitarra, não há realmente um dia ou local de nascimento certo… Lógicamente, foi inventada seguindo muito a risca os princípios do violão, 6 cordas, uma escala de mais o menos o mesmo tamanho… Ponte, braço, mão… Foi tudo praticamente seguindo o violão… Mas a guitarra tem de seu princípio básico um som mais artificial e variável do que de um violão… Uma guitarra pode variar dos timbres agudos aos mais graves… Tendo uma chave seletora para controlar isso… Tudo indica que o nascimento da guitarra, foi em volta de 1930 à 1940. Uma das épocas em que reinava o “caos” no mundo. Entre a Primeira e Segunda Guerra mundial, era feito o que viria um dia mudar o mundo da música. Seja no Rock, no Metal, no Dance, no Pop, no Jazz, no Blues, a guitarra com certeza é o melhor instrumento para quem gosta de flexibilidade e variedade. Para quem gosta de música, para quem gosta de ser artista, para quem quer aparecer no mundo… Guitarra, é para quem gosta do que faz…

Leo Fender, é apontado como o real “inventor” da guitarra como um todo. Já havia a séculos atrás o violão acústico. Sempre com 6 cordas, algo simples, o violão de sempre… Porém Leo fender, fundador da Fender Instruments, é apontado por desenvolver todo o sistema da guitarra. Da madeira até os detalhes mais simples como alavanca de distorção… Seu primeiro modelo foi a Stratocaster, a mais popular no mundo inteiro. Um visual atrativo com o de sempre… Captadores, a ponte tremolo, os 3 clássicos knobs de volume e tom, as tradicionais 6 cordas, porém, sempre, a afinação baseada na do violão. Fizeram tanto sucesso, que hoje é difícil não achar uma guitarra em algum estilo musical, e até mesmo, difícil de não achar uma stratocaster em uma música. Porém, os fender não estavam sozinhos. Sua (até hoje) grande concorrência é a Gibson, que implaca a idéia de mestre do velho e finado Les Paul, pelo mundo a fora, fazendo guitarras para nomes como Slash (Guns n’ Roses), Jimmy Page, Joe Perry, Billie Joe Armstrong, James do Metallica, e muitos outros artistas. A Gibson, principalmente nas Les pauls, resolveu contrariar ainda mais a sua concorrente. Ao invés de usar Single coils em toda guitarra que saia da fábrica, resolveu inovar e usar os Humbuckers, captadores teóricamente melhores por terem uma captação de maior ganho, e terem um sistema próprio de polarização, que impede a interferência de qualquer objeto. Lógico, que há casos e casos, a Gibson já pois captadores (Próprios) de single coils em suas guitarras como a Fender já usou Humbuckers em alguns modelos. Os conhecidos como H-S-S (Humbucker, Single Coil, Single Coil)

Talvez para criar um “mix” em seus modelos. Afinal, sempre o mesmo tom enjoa 🙂
Anos depois da invenção da guitarra, o que tinhamos era apenas uma coisa que os antigos chamavam de amplificador (uma caixa de som com pré-amplificação) que emitia o som totalmente limpo da guitarra, sem se quer uma distorção. Imagine só, você pegar seu Marshall AVT50 com vários watts RMS e colocar ao lado de no máximo 10RMS limpos? Que dura comparação! Com o tempo avançaram muito nesse quesito, mas acredite, anos atrás era até meio que desmotivante tocar, pois a guitarra por si só hoje em dia, não é valorizada. Mas sim se ela contem algum efeito, nem que seja o mísero efeito, mas hoje em dia, é dificil achar um tom que não use efeitos.

Conforme o tempo avançou, novos guitarristas, e estilos vieram, e logo, novos tons e efeitos. Os efeitos mais usados hoje em dia com tons limpos são o Chorus, que na tradução ficaria “coro”. Ou seja, se aumentar o efeito de chorus no seu máximo, teremos a impressão de 2 guitarras ao mesmo tempo, ou apenas um ótimo som de guitarra.
Outro efeito muito popular e usado é o reverb, que dá um tipo de eco, com um chorus, que é realmente bonito, e que pode simular como se você botasse todo o volume no amplificador, e estivesse numa sala com eco, ou em algum outro lugar que dê uma ressonância de som impressionante. Muito usado também com distorções, o Reverb depois da distorção pode ser considerado um dos efeitos mais usados por guitarristas.
E por falar em distorção, você sabia que 95% do Rock que você escuta não existiria sem a distorção? É Mesmo! Aquele tom rebelde e que provoca solos malucos, se chama distorção, e acredite, um guitarrista que se preze não pode viver sem uma! São vários os tipos, Hot Box, Peavey, Guv’nor, Metal, Overdrive, entre outros.
Há também o efeito Fuzz, que dá uma cara de som dos anos 80, um pouco mais opaco, com tom mais “degastado” muito usado pelos guitarristas de Blues.
Há também o Flanger, o Wah, Delay, Tremolo… Mas isso é para outras postagens não é mesmo?

Enfim, hoje se você notar a diferenca de uma Stratocaster fabricada hoje, e uma de 1950, não notará grandes diferêncas, a que foi recém fabricada também tem captadores, cordas, trastes, braços. Porém, o que mudou e foi mudado muito, foi o jeito como tocar esse instrumento magnífico, foi o jeito como a música foi mudada pela guitarra, e a guitarra, mudada pela música. Seja como for, a guitarra é com certeza um dos mais usados instrumentos no mundo. E Tudo isso se deve à você guitarrista! Que popular ou não, influencia diretamente nisso, vocêfaz importância pelo fato de que você hoje pode criar novos estilos, novos tons, novas idéias, pode criar a música, apenas com essas 6 ou 7 cordas que você tem com você!

Muito Obrigado – A Cada semana vou procurar postar mais curiosidades para vocês… Até semana que vem! 🙂

Anúncios